Última Marcha

Salão Duas Rodas termina com foco nos scooters e motos de média cilindrada

Yamaha XMax

Quem foi ao Salão Duas Rodas, entre os dias 18 e 24 de outubro, foi. Quem não foi, agora, só mesmo em 2021. O evento terminou com mais de 200 mil visitantes, selfies de todos os jeitos e alguns lançamentos interessantes. Destaque para as novas Honda CB 500 e CB 500X, além das CBR650 Neo Sports Café e CBR650R. A Honda também aproveitou para testar o gosto das pessoas em relação a dois scooters: o ADV 150 e o Forza 300, sem previsão de chegarem às lojas, por enquanto.

Já a rival Yamaha trouxe do Japão o conceito Motoroid. A moto, que se equilibra sozinha e ainda obedece a comandos de voz e gestos, pode ser umA luz para o que veremos nas ruas num futuro próximo. De prático mesmo, por enquanto, só o XMax – scooter com motor de 250cc, tanque de 13,2 litros, controle de tração e várias outras tecnologias. A previsão é de que as vendas comecem em abril do ano que vem.

Nova Yamaha XMax

A Kawasaki acelerou em direção às nakeds e apresentou a Z900 com design mais agressivo e o tão esperado controle de tração. Numa vibe mais custom, a Trimph tremeu os corações de jornalistas e influenciadores com a Rocket 3. Equipada com um motorzão de 2.500cc, o maior produzido em série no mundo, o monstro está com os dentes afiados pra morder o mercado da Ducati XDiavel. E a briga tem tudo para ser muito boa.

A ainda novata no Brasil, Royal Enfield, surpreendeu todo mundo com as novas Continental GT 650 e Interceptor 650. Os olhares não estavam espantados nem tanto com o design quanto com os motores de dois cilindros (finalmente), mas com os preços: R$ 24.990 (Interceptor 650) e R$ 25.990 (Continental GT 650).

Cá entre nós, melhor do que ler é assistir ao vídeo que eu e o meu parceiro, João Fusquine, fizemos lá no Salão Duas Rodas. É só pegar a pipoca e curtir a cobertura.

Pra fechar o assunto, enquanto algumas montadoras apostam as fichas no mercado que cresceu 7,6%, nos primeiros 10 meses deste ano, com 945. 568 unidades produzidas, pelo menos quatro marcas nem passaram perto dos holofotes da maior exposição do setor, na América Latina, este ano. Integram a lista a BMW, Dafra, Ducati e Harley-Davidson. E o povo sentiu falta delas. E como sentiu. 🙁

Para compensar as ausências, a organização do evento, apoiada pela Associação Nacional de Fabricantes de Motos (Abraciclo), investiu na “experimentação”. A estrutura externa contou com 4 pistas e mais de 70 modelos à disposição para test-ride (pago, claro). Rolou até apresentação de Motocross. A nossa equipe correu tanto pra fazer o vídeo dos lançamentos que não teve tempo nem de ir lá fora gravar essa parte. Desculpe! Mas, na próxima edição, a gente compensa isso. 😊

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários