Última Marcha

Novo Porsche 911 GT3: um carro de corrida legalizado para as ruas

911 GT3

A vida de jornalista automotivo é bem diferente da que todos imaginam. É viagem de avião, evento, gravação de vídeo para Tv e YouTube, texto para site, conteúdo para redes sociais e, quando sobra tempo, almoço. É meus amigos, às vezes, a gente acelera tanto que não sobra tempo nem para comer. Mas sabe de uma coisa? Eu sou apaixonado por tudo isso. Ainda mais quando você abre a caixa de e-mails e uma das mensagens diz o seguinte: “Prezado Clayton, a Porsche do Brasil tem o prazer em convidá-lo para o lançamento do 911 GT3 e 718 GT4”. Não demorei nem 1 minuto para responder. O sim foi imediato.

Porsche/ Divulgação

No dia do evento, o presente veio melhor do que a encomenda. A montadora alemã disponibilizou, no autódromo Vellocita, no interior de São Paulo, toda a linha para avaliação. Que momento! No entanto, como o tempo era curto, foquei no 911 GT3 (geração 992).

Confesso que já tive o privilégio de dirigir muitas máquinas legais nesses últimos 8 anos de carreira. Aquelas que fazem o coração vibrar e o bolso tremer (de tão caras). Mesmo assim, a experiência de guiar o monstro alemão fez toda a correria valer a pena. O esportivo teve boas doses de testosterona adicionadas ao seu DNA para produzir 510cv de potência, aos 8.400rpm, e 47,9kfgm de torque. Com esses números, o motor 6 cilindros, Boxer, 4.0, empurra o GT3, de 0 aos 100 km/h, em apenas 3,4 segundos, com emoção.

A sensação é de que tudo ali foi pensado para mexer com os sentidos do motorista/piloto. O ronco do propulsor instalado no eixo traseiro, a distribuição milimétrica de peso, a suspensão (com novas molas, nas quatro rodas, e sistema Double Wishbone na dianteira), a rapidez do câmbio PDK de dupla embreagem com seis marchas e muito mais. São tantos detalhes que precisaríamos de um livro para descrever tudo.

Porsche/ Divulgação

O que os bons ventos nos trouxeram

A Porsche olhou para a geração anterior do 911 GT3 e concluiu que não precisava mexer tanto no trem de força da lenda. Fez um ajuste e outro, apenas para aumentar 10 cavalos na potência, e dedicou o restante do projeto na aerodinâmica. O aerofólio traseiro mudou bastante, agora com suporte estilo Pescoço de Ganso. Assim como os defletores – na parte inferior do carro – criados para direcionar o vento para os freios e colar o esportivo no chão. Dependendo da situação, velocidade e das condições do terreno, apenas a asa traseira pode criar uma pressão de até 60 quilos para baixo. Assim, você controla o carro com uma precisão digna de um relógio suíço, mesmo em altíssimas velocidades.

Porsche/ Divulgação

O design também faz o folego faltar em alguns momentos. Se você gosta de carro discreto, nem ouse pensar em desembolsar R$ 1.149.000 pelo GT3. Ele também foi criado para chamar a atenção. Ainda mais na maioria das cores disponíveis no Brasil. O exemplar avaliado ostentava o chamado Azul Shark, fácil de ser percebida a quilômetros de distância. Os faróis Full-LED Matrix e as rodas 20 polegadas, na dianteira, e 21, na traseira, deixam o visual ainda mais provocativo. Ah, voltando ao preço, você pode até achá-lo caro. No entanto, saiba que as primeiras 40 unidades da pré-venda “voaram” em poucas horas. Agora, só por encomenda e sem prazo para entrega. Você dá o sinal e conta com a sorte. Afinal, o mundo inteiro está demandando mais carros do que a Porsche consegue produzir. Tem lógica?

Por aqui, os freios de cerâmica são de série, porém o teto de fibra de carbono é opcional. Um dos artifícios para melhorar ainda mais a aerodinâmica e reduzir parte dos 1.435 quilos do esportivo semi-pista da marca.

O interior, repleto de Alcântara, é tão bonito quanto a parte de fora. Até porque compará-los daria uma polêmica danada. Bom, os bancos dianteiros são em fibra de carbono. Para deixar o carro mais leve, ajustes elétricos só para a altura. Os demais comandos são manuais. Os assentos traseiros deram lugar a uma gaiola de proteção. Caso você não goste, pode pedir para a concessionária retirá-la, sem problemas ou qualquer tipo de custo.

A central multimídia conta com espelhamento para Apple CarPlay e Android Auto, sistema de som Bose e acesso a inúmeros controles do carro, inclusive os modos de condução (Sport e Track) e ajustes da suspensão dianteira – capaz de elevar a altura em até 30 centímetros.

Confesso para você que eu não consegui testar vários desses equipamentos. O som mesmo eu nem liguei. A melhor sinfonia pra mim vem do escapamento. E que escapamento! As quatro voltas na pista foram curtas para sentir tudo, sim, mas suficientes para sonhar com outra notificação da Porsche na minha caixa de e-mails.

Me siga no Instagram para acompanhar os testes e lançamentos (como o do Porsche 911 GT3). ESPERO VOCÊ!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
Notícias
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments