Última Marcha

Novo Peugeot 208: testamos o carro na cidade e na estrada (e gostamos)

Olhar o Novo Peugeot 208 e não se lembrar dos carros-conceito, lindamente expostos nos Salões do Automóvel espalhados pelo mundo, é impossível. O hatch francês é ousado, para o que estamos acostumados, mas bem real.

Está, inclusive, à disposição para Test Drive em todas concessionárias da marca, no país. Sair com ele, meus amigos, é garantia de indiscretos flagrantes dos paparazzis de plantão. Até donos de SUVs torcem o pescoço para contemplar o belo trabalho dos designers.

O modelo chega ao Brasil em quatro versões e bastante status. Afinal de contas, ele foi eleito o carro do ano na Europa em 2019. Ah, e os seus atributos vão muito além do design. Ao longo de uma semana, testamos todas as tecnologias – tanto as de segurança quanto as relacionadas ao prazer ao dirigir.

Os faróis Full LED garantem excelente iluminação e reforçam o ar futurista. Para completar, as luzes diurnas, também em LED, recortam o para-choque dianteiro, distanciando o hatch ainda mais dos seus rivais.

Se a beleza exterior agrada, no interior o sentimento é o mesmo. A começar pela qualidade dos materiais utilizados no acabamento. Tudo se encaixa perfeitamente – e com sofisticação. O painel e as portas têm detalhes tipo fibra de carbono (material super leve e caro, usado em carros premium).

Os bancos, revestidos em Alcantara, são bonitos e confortáveis. Outro ponto alto é a nova geração do i-cockpit 3D. A invenção da Peugeot reúne itens bastante interessantes.

A tela 100% digital projeta algumas informações de forma holográfica em três dimensões. As informações parecem flutuar no cluster. Ainda há cinco modos de visualização, dois deles customizáveis. Tudo que acontece com o carro, você fica sabendo na hora.

Andar no banco do carona é legal, mas assumir o volante é melhor ainda. Todos os comandos do console central e da central multimídia, com Apple CarPlay e Android Auto, são voltados para o motorista. Para estacionar, mordomia total.

O sistema VisioPark cria uma imagem 180° da traseira e mostra os obstáculos ao redor. Assim, fica fácil encaixar o hatch francês em praticamente qualquer vaga.

Esqueceu o cabo do celular em casa? Tranquilo. O Novo 208 também pode ser equipado com carregador de celular por indução. O aparelho ainda fica protegido, em um compartimento com porta, longe do alcance dos olhos. Mais um ponto para a sua segurança. O enorme teto panorâmico, disponível a partir da versão Active Pack, fecha os destaques na parte de dentro.

Voltando às tecnologias, o Novo 208 sai de fábrica com vários equipamentos inéditos no segmento. Uma prova disso é o Peugeot Driver Assist.

O pacote de assistências ao motorista começa com o sistema de manutenção de faixa de rodagem que corrige o volante e coloca o carro na direção certa, caso o motorista mude de pista sem dar seta ou se distraia.

Alerta de colisão com frenagem automática de emergência, leitor de placas de trânsito, auxílio de farol alto e detector de fadiga completam a lista.

Alguns destes equipamentos são exclusivos da configuração topo de linha, Griffe, mesmo assim o Novo 208 é bem completo desde a versão de entrada. Direção elétrica progressiva, ar-condicionado, piloto automático, câmbio automático de seis velocidades e quatro airbags são de série. A partir da configuração Allure, a proteção aumenta ainda mais com seis airbags.

Como anda o bonitão?

Embaixo do capô, o Novo 208 carrega um motor 1.6 flex com 118cv de potência e 15kgfm de torque. Posso te falar uma coisa? Ele dá muito bem conta do recado. No modo Eco, as trocas de marcha são feitas em rotações mais baixas para economizar combustível.

Precisou de mais força, basta acionar o modo Sport e o comportamento do carro muda completamente. Também há as opções Drive (que alia economia e desempenho) e a Sequencial (quando o condutor faz as trocas pela alavanca do câmbio).

O motor 1.6 tem outras duas vantagens: o baixo custo de manutenção (um dos mais baixos do segmento) e a baixa vibração – frente aos propulsores de três cilindros. No quesito autonomia, o hatch também manda bem. Fez 12,5 km/, na cidade, e 12, na estrada, com gasolina.

DNA de inovação

Agora, vamos voltar no tempo. Mais precisamente para 1983 quando a Peugeot lançou um hatch compacto e robusto, chamado 205. Sucesso de vendas na Europa, o modelo desembarcou no Brasil na década de 1990. Bem na época em que as importações de automóveis voltaram a ser permitidas. Ali começou a tradição da marca no segmento.

Em 1999, outra revolução. Saia de linha o 205 para a chegada do 206, um carro completamente novo e moderno. Até hoje, o modelo mais vendido da marca no país. O carro, com seu visual atraente e acabamento infinitamente superior aos rivais, vendeu como água no deserto. Começou a ser produzido em solo nacional em 2001, na fábrica de Porto Real (RJ), até em versões com carroceria perua e conversível.

Mais pra frente, em 2008, a Peugeot lançou o 207. Cinco anos depois, em 2013, veio o 208 – mais requintado e com o conceito Peugeot i-Cockpit®.

Eis que chegamos a 2020 – quando o Novo 208 desembarcou por aqui. E ele tem tudo para manter o legado da família 200. Como principais diferenciais estão o design, a tecnologia, a segurança e a boa dirigibilidade. É esperar para ver.

Confira a nossa avaliação completa

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
NotíciasVídeos

Comentários