Última Marcha

(Vídeo) Corolla Cross: o sedã virou SUV e nós já testamos

O Corolla Cross é quase tudo que eu esperava. Ele é bonito, espaçoso e manda bem nas tecnologias, inclusive as relacionadas à segurança. Sete airbags, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa são de série. Assim com central multimídia com câmera de marcha à ré e conexão ao Apple CarPlay e Android Auto, com fio, ar-condicionado digital automático, faróis com DRL e sensores de estacionamento traseiros.

Além do nome, o Corolla Cross herdou o interior do irmão sedã. Os motores também. As versões de entrada (XR e XRE) são equipadas com o 2.0L Dynamic Force Dual VVT-iE 16V DOHC Flex, de 177 cv de potência e 21,4 kgfm. Nesse caso, a transmissão é automática CVT Direct Shift de 10 marchas.

Confira o vídeo completo do Corolla Cross

Caso queira um Corolla Cross mais econômico, terá que investir nas configurações híbridas (XRV e XRX). Elas carregam, sob o capô, um 1.8L VVT-i 16V Flex, com 101 cv de potência e 14,5 kgfm de torque. Em conjunto, há dois motores elétricos (MG1 e MG2) de 72 cv de potência e 16,6 kgfm. A autonomia, estipulada pelo Inmetro, é de 13,9 km/l, na estrada, e 17km/l, na cidade, com gasolina. No entanto, em nosso teste, em uma das pistas da fábrica da montadora, em Sorocaba-SP, alcancei média de 18km/l. Nada mal.

A bateria de níquel-hidreto metálico, com oito anos de garantia, fica abaixo do assento traseiro, contribuindo com a redução do centro de gravidade e com o aproveitamento do espaço interno. Por falar nisso, o SUV tem 2,64 metros de entre-eixos e 440 litros de capacidade no porta-malas. Números mais do que suficientes para a vida na cidade e longas viagens.

O Corolla Cross híbrido oferece mais do que uma autonomia aprimorada e baixos índices de emissões de CO2. O SUV ganha, ainda, o pacote Toyota Safety Sense. Na lista, alerta de colisão frontal e frenagem autônoma de emergência, controle de cruzeiro adaptativo (ACC), assistente de permanência em faixa e alerta de ponto cego. A maior diferença, frente ao Corolla sedã, é que o modelo passa a contar com detecção de pedestres e ciclistas. Detalhe que faz toda a diferença. Concorda?

Os bancos em couros merecem elogios à parte. Com bom acabamento e excelente ergonomia, oferecem conforto acima da média da categoria. o painel é o mesmo do bom e velho sedã, bonito, mas sem extravagâncias. A decisão de retirar o freio de estacionamento de mão caiu como uma luva. O único problema, contudo, foi a escolha do sistema acionado pelo pé esquerdo – em vez do equipamento eletrônico. Vai entender!

Eu gostei do carro. Principalmente do design, das tecnologias de segurança e do conforto. Com a suspensão elevada, dá para encarar trechos impensáveis para o Corolla sedã. Eu só acho que o SUV (assim como a maioria dos modelos da Toyota) merecia uma central multimídia mais moderna e um freio de mão alinhado com o que encontramos nos concorrentes de maior destaque.

Já a ausência do motor é turbo é justificada pela opção híbrida – bem mais eficiente. Afinal, é questão de estratégia da marca. Mesmo com essas pontuações, o Corolla Cross tem tudo para se dar (muito) bem no mercado. Jeep Compass e Volkswagen Taos, abram os seus olhos!

Versões e preços:

XR 2.0 Flex – R$ 139.990

XRE 2.0 Flex – R$ 149.990

XRV Hybrid – R$ 172.990

XRX Hybrid – R$ 179.990

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments